Altos de Pinto Bandeira obtém 1ª DO exclusiva de espumantes do Novo Mundo

Pinto Bandeira ( RS)

Reconhecimento publicado hoje ( 29/11/22) na Revista da Propriedade Industrial, as vinícolas Aurora, Don Giovanni, Geisse e Valmarino, passam a exibir nos rótulos de seus espumantes únicos a distinção que eleva e consolida a posição da região e do Brasil no universo da bebida. Foram 10 anos desde que a Associação dos Produtores de Vinho de Pinto Bandeira (Asprovinho) deu o primeiro passo na busca da obtenção da Denominação de Origem (DO) Altos de Pinto Bandeira.

Esta década serviu para consolidar processos já adotados pelos produtores, conscientes de suas condições privilegiadas de terroir – solo, clima e homem -, ideais para a elaboração de espumantes naturais de excelência. Daqui para a frente, toda garrafa de espumante natural que nasce nesta região delimitada e exibe o Selo da DO estará entregando a garantia da procedência e qualidade das uvas, assim como de cada etapa do caminho, do vinhedo à taça.

Para ter direito ao uso do Selo da DO em seus espumantes naturais, as vinícolas Aurora, Don Giovanni, Geisse e Valmarino têm que cumprir regras rigorosas de controle, desde o cultivo das uvas até o engarrafamento. O saber fazer agrícola, vitícola e vinícola deve estar em perfeito equilíbrio durante todo o processo. Tudo começa com as variedades autorizadas – Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico – que, além de serem cultivadas na área geográfica delimitada, também precisam ser conduzidas pelo método espaldeira. A interação clima-solo-videira é o que confere as características particulares necessárias para a elaboração do vinho base que vai originar o espumante natural dos Altos de Pinto Bandeira. O resultado são uvas com maturação moderada e composição equilibrada entre acidez e açúcar, com precursores aromáticos que resultam em qualidades e características de cor, aroma, paladar e estrutura determinadas pelo meio geográfico. Para completar, destaque para a atividade do homem que revela e evidencia, através de sua sensibilidade e conhecimento, a identidade do local.

Mesmo seguindo todo este protocolo, é preciso submeter os produtos a análises laboratoriais e sensoriais, com gestão do Conselho Regulador da DO. Somente depois é que o produto está apto a receber o rótulo com o Selo e seguir para a mesa do consumidor. Os primeiros espumantes com a DO Altos de Pinto Bandeira devem chegar ao mercado a partir do ano que vem.

Para o presidente da Asprovinho, Daniel Geisse, “formalizar o que já estamos desenvolvendo há muitas safras é brindar a persistência de todos os envolvidos, unidos num único propósito. Agora podemos trabalhar na consolidação do posicionamento da marca no cenário nacional e no mundo do vinho. Isso porque a DO dos Altos de Pinto Bandeira é a única DO exclusiva de espumantes do Novo Mundo”, destaca.

A DO dos Altos de Pinto Bandeira abrange 65 km² de área contínua, sendo 76,6% localizada no município de Pinto Bandeira, 19% em Farroupilha e 4,4% em Bento Gonçalves. A altitude média da região é de 632 metros, com terrenos de relevo ondulado até montanhoso. As temperaturas são mais amenas, enquanto a exposição solar é favorecida pela localização na margem esquerda do Vale do Rio das Antas e pela boa circulação horizontal do ar no alto de um dos patamares do Planalto Basáltico da Serra Gaúcha. Este conjunto de características influencia na escolha de técnicas de cultivo e manejo dos vinhedos, interferindo diretamente na qualidade do vinho elaborado.

Conheça as principais regras para o uso da DO Altos de Pinto Bandeira:

1 – Cultivares autorizadas: Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico, sendo que os vinhedos devem ser cultivados, exclusivamente, na área geográfica delimitada e estarem declarados no Cadastro Vitícola.

2 – Origem das uvas: As uvas devem ser cultivadas 100% na área geográfica delimitada da DO Altos de Pinto Bandeira.

3 – Sistemas de Condução: espaldeira.

4 – Produtividade: limite máximo por hectare de 12t/ha. A colheita mecânica é proibida para as uvas destinadas à DO, que também devem apresentar mais que 14º graus babo.

5 – Elaboração: Os espumantes com DO somente podem ser elaborados pelo Método Tradicional com tempo superior a 12 meses de guarda. Quanto ao açúcar residual estão autorizadas as classes Nature, Extra-Brut, Brut, Sec e Demi-Sec.

6 – Processos Enológicos: É permitido o uso de barricas de carvalho, tanto na primeira fermentação quanto no vinho base para espumante, sendo que para ter a DO é necessário ter a segunda fermentação na garrafa.

– Os vinhos base para espumante devem ter no máximo cinco anos, contados a partir da data de término da respectiva safra de uva.

– É permitido o uso de diferentes safras de vinhos base para espumante nos cortes, desde que das variedades autorizadas. Nos cortes, o vinho base de Riesling Itálico terá um percentual máximo de 25% sobre o volume do produto final.

– Espumantes Safrados: Os espumantes da DO Altos de Pinto Bandeira podem ser safrados, devendo conter, no mínimo, 85% de vinho base da safra mencionada.

– Rotulagem: O rótulo principal deverá conter a identificação do nome geográfico da DO, seguido da expressão Denominação de Origem. A rotulagem também deverá incluir o Selo de Controle numerado, especificando o número do lote e da respectiva garrafa do lote.

Vinhos para harmonização no verão brasileiro

Vinhos importados pela Casa Flora

Vinhos leves, brancos e roses, podem ser boas pedidas para apreciar à beira da piscina e em almoços no verão brasileiro. A Casa Flora elaborou uma lista de opções em seu portfólio e destaca um novo vinho que passa a distribuir, o Norton Sexy Fish Blanc de Blancs. Esse vinho branco apresenta uma cor amarela pálida e aroma fresco, com aspecto floral e um toque de frutas brancas. Na boca é refrescante e intenso. O vinho vai bem massas leves, queijos e saladas.

Paulo Amalfi, Gerente da Categoria Vinhos da Casa Flora explica “que há um grande crescimento de vinhos brancos e roses no mercado. Hoje já representam mais de 25% das importações.  Além de serem opções leves e refrescantes, ideais ao verão e primavera, são uma boa porta de entrada para quem está querendo se aventurar no mundo do vinho. ”

Outra dica da Casa Flora para a estação mais quente do ano é o Régia Colheita Branco. De cor amarela palha, seu aroma expressa frutas brancas maduras, baunilha e leve toque tostado. No paladar é seco, com corpo médio, boa acidez.

Para harmonizar com comida japonesa a sugestão da distribuidora é o Pata Negra Verdejo, um vinho de seco, com corpo leve, acidez refrescante. Essas características harmonizam muito bem com os peixes crus, e além disso, ele apresenta aromas de frutas cítricas com notas herbáceas frescas, que suavizam o odor forte dessa culinária.

Para os apreciadores de um rosé o 99 Rosas Rosé é uma opção orgânica cheia de sabor. Rosa claro brilhante, com aroma de frutas vermelhas, é um vinho frutado e fresco. Outra dica é o Carolina Reserva Rosé, que também acompanha bem as carnes vermelhas.

O Alfredo Roca Rosé é um vinho elaborado com uva merlot que é fresco e frutado. No paladar tem boa acidez, prevalecem as notas de frutas vermelhas, com final equilibrado.

Casa Flora Importadora – Loja da Casa Flora Rua Santa Rosa, 207–Brás, São Paulo/SP. Telefone:11 2842-5199. E-Commerce: http://www.loja.casaflora.com.br/

Sparkling Festival reúne expositores de vinhos e espumantes no Rio de Janeiro

Nos dias 18 e 19 de novembro o Rio de Janeiro sedia mais uma edição do Sparkling Festival, evento que reúne expositores de vinhos e espumantes. A feira e degustação acontecerá no Clube House – um espaço para eventos com todo conforto e segurança –  localizado dentro do emblemático Jockey Club, na Gávea, zona sul da cidade.

O evento, que também acontece em outras cidades brasileiras, leva a grife  Casa Vitis e Vinho na Vila e tem como foco vinhos espumantes, brancos e rosés.

“Estamos muito felizes com a escolha do local, no coração da Zona Sul e totalmente instagramável com vista do Cristo”, afirma Larissa Fin, criadora e curadora do evento.

Serão cerca de 30 espaços de vinícolas brasileiras e importadoras, com 350 rótulos, além de opções de gastronomia e atrações culturais.

Dentre as vinícolas já confirmadas estão: Don Cândido, Cristofoli, Fin, Salton, Clariot, Invernnia, Cliche , Vinum Rio, Miolo, Adolfo Lona, Audace Vinhos.

O evento é aberto ao público para todas as atrações e expositores de gastronomia. Somente o acesso à área restrita de degustação é cobrado.

Sparkling Festival. Local: Club House – Jockey Club. Horário das sessões – das 10:00 às 21h, nos dias 18 e 19 de novembro. Praça Santos Dumont, 31, Rio de Janeiro.

Nesse link você encontra ingressos com desconto do cupom Viagemelifestyle.

Restaurante Alloro al Miramar lança menu comemorativo de seus 10 anos

Restaurante Alloro no hotel Miramar by Windsor em Copacabana ( RJ)

O ano de 2022 está sendo especial para o Alloro al Miramar, restaurante do hotel Miramar by Windsor, que fica em Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro. A casa completa dez anos e entrou mais uma vez para a lista “50 Best Discovery”, que funciona como uma extensão do The World’s 50 Best Restaurants. A votação é feita por mais de mil especialistas internacionais do setor, todos os anos. O Alloro al Miramar é um dos locais que merecem entrar no roteiro de quem está no Rio de Janeiro. O ranking indica apenas 12 estabelecimentos na cidade maravilhosa.

Os dez anos do sofisticado restaurante renderam a renovação do cardápio, com novidades que vão da entrada à sobremesa. Para celebrar a data em grande estilo, o talentoso chef Michele Petenzi trouxe da Itália, sua terra natal, uma série de deliciosas inspirações. Mas seu trabalho com a gastronomia inclui também itens da culinária brasileira. “Levei alguns meses estudando e pesquisando opções para compor um novo menu. Não privilegio somente uma região da Itália e também não deixo de fora um toque brasileiro. Temos pratos para todos os gostos, passando pelo sul e norte da Itália, e valorizando o que temos de melhor no Brasil”, afirma o chef Petenzi, após apresentar uma completa experiência de almoço harmonizado, com cinco serviços.

Desde as entradas, o menu surpreende e atrai a curiosidade dos comensais. Para começar chega a mesa um delicioso couvert com pães artesanais, grissinis e manteiga de mascarpone com raspas de limão. Para entrada, o chef sugere a Burrata Tricolore (queijo burrata, geleia caseira de tomate, farofinha de bacon e rúcula) e o arancini de cordeiro. Para harmonizar, uma taça de prosecco. “A burrata faz uma combinação clássica com o tomate. A diferença é que nossa geleia de tomate é caseira, um molho agridoce”, explica o chef.

Como primeiro prato vale experimentar o risoto de queijo com farofa de speck – um presunto europeu, tomilho e alcachofra. A combinação é incrível e surpreende ainda mais com uma taça de vinho branco da Toscana.

O Cavatelli al Ragu di Agnello (cavatelli com ragu de cordeiro e queijo pecorino) é uma ótima opção de segundo prato. Essa opção também tem boa harmonização com o vinho branco.

Em seguida, vale experimentar a Guancia Bovina Brasata, Passatina di Fagioli e Broccoli (bochecha bovina braseada, puré de feijão-branco e brócolis). Esse prato harmoniza bem com um vinho tinto da Puglia. “A bochecha, a guancia bovina, é um prato mais diferente, combinação de carne com feijão-branco, muito utilizado na Itália e na Espanha. Fazemos um purê com ele. O molho que acompanha a carne é bem concentrado, forte, saboroso, com vinho, especiarias e finalizado com cacau”, conta.

Para sobremesa, além da tábua de queijos como novidade no cardápio, os doces feitos na casa já chamam s atenção. São boas pedidas o Tirami-Choux (massa choux com creme de tiramissu, gel e creme inglês de café), e o Romeu e Julieta – que tem goiaba e suspiro, além da goiabada e queijo.

É importante fazer reserva, principalmente para o jantar. O hotel cinco estrelas Miramar é o único da rede Windsor no Rio de Janeiro a ter um restaurante gastronômico.

Restaurante Alloro al Miramar – Avenida Atlântica, 3.668, Copacabana. Miramar Hotel by Windsor. Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 12h às 23h. Sábados, domingos e feriados, das 12h às 23h30.

Fashion Wine Rio apresenta edição “Vinhos da Primavera” no Fashion Mall

Nos dias 22 e 23 de outubro acontece o Fashion Wine Rio, no Fashion Mall, em São Conrado, no Rio de Janeiro. Com o tema Vinhos da Primavera, o evento terá degustação e apresentação de rótulos de vinícolas internacionais e nacionais. Os vinhos à venda poderão ser adquiridos a preços diferenciados.

Entre as vinícolas confirmadas estão Luigi Bosca, Cobos, Zucardi, Finca Las Moras, Kaiken, Weinert, Norton e Alfredo Roca (Argentina), Pizzato, Amitié, Don Guerino e Miolo (Brasil), Miguel Torres, Leyda e Casa Silva (Chile), La Vielle Ferme e Paul Mas (França), Lucarelli (Itália), Fundação Eugênio Almeida, Esporão e Crastro (Portugal) e Pizzorno (Uruguai).

Uma das novidades desta edição é que o bar do evento passará a oferecer um menu com pratos de frutos do mar, sob a supervisão da Torres Mar. Após o período de degustação, o visitante poderá permanecer no bar dentro do espaço ou no foyer, onde poderá consumir pratos, como os famosos Arroz de Camarão ou Bacalhau, Vinagretes de Polvo, Ceviche, entre outros.

A entrada ao evento ocorrerá em turnos de duas horas (cada), limitado a um número máximo de 120 participantes. Cada pessoa ganhará uma pulseira de cor específica como forma de manter o controle de acesso e obter uma melhor circulação pelos espaços.

A terceira edição do “Fashion Wine Rio” será realizada no Piso L3 do Fashion Mall, das 14h às 22h (22/10) e das 14h às 20h (23/10). Os ingressos duplos, com direito a dois participantes, custam R$ 170, enquanto os individuais, R$ 100.

Fashion Wine Rio – Dias: 22 e 23 de outubro de 2022 (sábado e domingo). Horário: 22/10 (das 14h às 22h) / 23/10 (das 14h às 20h). Estrada da Gávea, 899, São Conrado, Rio de Janeiro. Venda antecipada com desconto: https://www.sympla.com.br/fashion-wine-rio-edicao-vinhos-da-primavera__1722760. O evento é proibido para menores de 18 anos.

Bettina inaugura na Barra da Tijuca – bistrô, café e empório

Bettina no Village Mall, na Barra da Tijuca ( RJ).
( foto divulgação. 📸 Miguel Sá).

O Bettina é um bistrô e café com um charmoso empório que traz para o Village Mall, na Barra da Tijuca, uma nova proposta de gastronomia e serviço.

Tendo como carro chefe cafés especiais e opções para café da manhã, almoço, lanche e jantar, o novo espaço é aconchegante e tem uma decoração clean, com louças e detalhes escolhidos cuidadosamente. O estilo traz referências do glamour dos anos 50 e 60, o bistrô-café-empório surpreende também com um menu muito bem montado. “O Bettina nasce da minha paixão por cafés. Cada item do cardápio tem uma louça específica, cada produto aqui encontrado tem um motivo. Somos o primeiro empório do VillageMall com produtos totalmente artesanais e com foco nos pequenos produtores locais. Queremos que os cariocas e moradores do Rio conheçam produtores de qualidade dentro do seu próprio estado. Meu sonho é que o Bettina se torne lugar de destino das pessoas, pois tudo aqui foi feito com muito amor e dedicação”, conta Mariana Neves, sócia do Bettina.

Na lista de cafés especiais da casa estão diferentes tipos de espressos que são preparados com o Café Iranita, 100% arábica e produto da agricultura familiar, produzido em lavouras sustentáveis de Porciúncula, no Alto Nordeste do Estado do Rio de Janeiro. Os grãos Catuai vermelho e amarelo são colhidos diariamente sobre pano, separados manualmente e secos em terreiro de pedra. A torra média e o processo cereja descascado realçam as notas sensoriais de chocolate e caramelo tornando o café suave, encorpado e com acidez equilibrada. Destaque para o delicioso Bettina’s Coffee, uma bebida cremosa e autoral da casa, aromática e adocicada criada pela barista Adriana Valinhas e composta de café de creme de cumaru (baunilha da Amazônia) e acompanha brigadeiro cumaru brulée.

O cardápio da casa foi desenvolvido pelo chef Lucas Madris, que veio de São Paulo prestar consultoria para o bistrô. A ala “Para começar o dia”, os combos do chef são servidos de segunda a sábado até 12h30 e aos domingos até 14h. O Bettina (R$60) é composto por pão de fermentação natural, manteiga, ovos mexidos, mamão recheado (frutas, pasta de amendoim e granola artesanal) e iogurte natural da casa com geleia Bettina), já o Sertaneja (R$38) é feito com cuscuz nordestino, requeijão de corte, coalho e ovo frito. Enquanto o Americana (R$48) leva pão de fermentação natural, ovos fritos, bacon em tiras e sour cream (R$48). As tostadas não poderiam faltar no cardápio e são uma ótima pedida a qualquer momento do dia.

Os bowls também fazem parte do cardápio. O Home Sweet Home leva iogurte natural da casa com frutas da estação, granola caseira, mel orgânico ou geleia Bettina e também tem o Açaí com banana e morango, além de dois toppings. Na seção de sanduíches, o misto Bettina é um dos destaques feito com brioche recheado com presunto parma, queijo gruyère e gratinado com o mesmo queijo, além do queijo quente preparado no pão Petrópolis, mostarda L’ancieene, queijo gruyère e cheddar. As opções leves não podem faltar, como omeletes acompanhadas por salada verde e pão de fermentação natural e preparadas nas mais variadas versões.

Para o almoço ou jantar, são boas pedidas: costelinha ao barbecue marinada no café com barbecue da casa e purê de raízes com chips de batata doce, nhoque de mandioquinha com fonduta de queijos e ragu de cogumelos e risoto al limone com filé de saint peter em crosta crocante de cítricos e chips de mandioquinha. Uma das apostas de sucesso da casa são os pokes. É possível escolher entre três sabores, como frango, salmão e atum.

Para finalizar, são boas opções a verrine banoffee (doce de leite, base de biscoito, banana marinada e chantilly com canela), a rabanada de brioche (creme de baunilha, compota de maçã e sorvete de queijo) e a torta de chocolate com calda e especiarias.

Para quem gosta de drinks, clássicos da coquetelaria fazem parte da carta do Bettina, como é o caso do Pink Tonic (gin, tônica, infusão de frutas vermelhas e casca de laranja) e Irish Coffee (Café, whisky Jamenson, xarope natural de açúcar e creme de leite fresco). Sucos especiais e sisas italianas são as dicas de bebidas não alcoólicas.

Bettina Bistrô, Café e empório – VillageMall – 3° Piso – AV. das Américas, 3900 – Barra da Tijuca WhatsApp: (21) 99702-4265. Horário de funcionamento: segunda-feira a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 12h às 20h.

Vinícola Cristofoli inaugura restaurante em meio aos vinhedos na Serra Gaúcha

Cristofoli Enogastronomia

Receitas da família revitalizadas, memórias afetivas cultivadas, ingredientes regionais selecionados e uma estrutura moderna em meio a um vinhedo tradicional. É com esses valores que a Família Cristofoli, que fica na Rota Cantinas Históricas, no interior de Bento Gonçalves, realiza o sonho de expandir sua atividade de enoturismo não região, inaugurando um restaurante. O Cristofoli Enogastronomia atende inicialmente somente aos sábados a partir das 12h, mediante reserva.

Inspirado nas receitas de gerações passadas da Família Cristofoli, com toques da culinária contemporânea, o restaurante tem no comando das panelas a jovem chef Bruna Borges, de 29 anos, além do sous Guilherme Kaczala, de 24 anos. Eles vão poder contar com o apoio de Maria de Lourdes e Roseli Cristofoli, responsáveis por alguns dos pratos que são sucesso no enoturismo da vinícola. Mães dos jovens enólogos que estão à frente da empresa – Lorenzo, Bruna e Letícia -, as cunhadas guardam alguns segredos herdados das nonas. Conhecemos de perto o início desse trabalho em uma press trip em junho/22 e podemos adiantar que a culinária típica da região é levada a sério nesse projeto. As iguarias são cartas e deliciosas e tudo é cuidado de perto pelos membros da família, além da preocupação com a harmonização com os vinhos Cristofoli.

O ambiente do restaurante é acolhedor e intimista, integrado a natureza do entorno por um vinhedo que muda de tons conforme a estação do ano.

O menu apresenta como boas-vindas, azeitonas, pão da Mamma e manteiga temperada. O restante segue a proposta da casa que permite optar entre três opções para cada prato. Para o primeiro prato, é possível escolher entre a Salada de folhas com crostini de queijo e gema mole, Capeletti in brodo ou Gnocchi ao molho de salame. Como prato principal as alternativas são o emblemático Ossobuco com polenta mole, Frango confit com purê de milho verde ou Bisteca de porco Moura com farofa e tomates confit. Pudim de laranja com sorvete de queijo e Tarte Tatin com Zabaione são as possibilidades e sobremesa. A refeição inclui vinhos, suco de uva e água.

Para Bruna, Lorenzo e Letícia, abrir as portas do Cristofoli Enogastronomia significa muito mais do que a realização de um sonho. “Quem nos visita sabe que tudo o que fazemos parte das nossas origens, do que a nossa família preserva no dia a dia e no que acreditamos. Ver o brilho nos olhos dos nossos pais nos faz reviver o passado, lembrando de todos os momentos em família que nos mantiveram juntos e nos trouxeram até aqui. Por isso, o que colocamos na taça e na mesa é o que temos de melhor a oferecer a todos que nos visitam”, destaca Bruna.

Cristofoli Enogastronomia – ERS 431 km 06 – Rota Cantinas Históricas – Faria Lemos – Bento Gonçalves (RS). IHorário de atendimento: Sábados, a partir das 12h. Disponibilidade para eventos em outros dias e horários. Valor: R$ 195 por pessoa (Inclui vinhos, suco de uva e água durante o serviço do almoço). Consultas e reservas: cristofoli@vinhoscristofoli.com.br ou pelo whats (54) 9 8403.9247.

Vinícola Cristofoli: ERS 431 km 06 – Rota Cantinas Históricas – Faria Lemos – Bento Gonçalves (RS). Horário de atendimento: de segunda a sexta: das 8h às 18h; Sábados: das 9h30min às 18h. Feriados: das 9h30min às 17h.

CHURRASCARIA PALACE apresenta menus especiais para CEIA DE NATAL E REVEILLON

Churrascaria Palace em Copacabana ( RJ)

A premiada Churrascaria Palace é reconhecida como a melhor do Rio de Janeiro por cariocas e turistas. Por atrair sempre um grande público de visitantes nacionais e internacionais, e que buscam já nos meses que antecedem o fim do ano fazer reservas antecipadas, a casa já apresenta o menu para ceia de Natal e réveillon. As ceias de fim de ano serão realizadas nas noites de Natal e Réveillon, de 20h à 0h, e já aceitam reserva, pois a capacidade é limitada.

As festas de fim de ano merecem uma celebração especial e fomos conhecer, em primeira mão, alguns dos destaques dos menus especiais da Churrascaria Palace.

Para tornar a véspera ainda mais especial, o restaurante abre suas portas no dia 24 de dezembro e serve seu tradicional rodízio de carne com mais de 40 cortes e um Buffet repleto de pratos típicos da época, como os assados de peru com molho de laranja e aroeira, pernil de porco preto brazuca com molho rôti e pimentas verdes. Há também leitão, tender, arroz de bacalhau, bacalhau à lagareira, entre outras delícias. Os frutos do mar, peixes e o sushi bar também estão incluídos no pacote. As tradicionais frutas secas e oleaginosas marcam presença, e delícias da sorte como uvas e romã. Para adoçar o paladar, o cliente pode escolher entre as sobremesas irresistíveis como Ovo de Gato, Panqueca de doce de leite, Brigadeiro de colher, entre outras.

O pacote de Natal custa R$380 por pessoa e as bebidas são cobradas a parte.

Para a virada do ano, a churrascaria terá o mesmo menu especial do Natal. No dia 31 de dezembro para quem deseja brindar com mais animação, a churrascaria terá vinhos tintos e brancos, espumante Chandon, drinques clássicos, chope Praya, Whisky 12 anos, caipirinha e digestivos já incluídas no pacote da ceia. A ceia de Ano Novo sai a R$ 750 por pessoa.

Churrascaria Palace – Rua Rodolfo Dantas, 16. Copacabana. Rio de Janeiro

Adega Cartuxa – conheça a experiência premium de tour e degustação

Adega Cartuxa em Évora. Alentejo, Portugal.

Évora, capital do Alentejo, é um destino especial para quem gosta do enoturismo. A cidade é patrimônio mundial da Humanidade e a quinze minutos de seu centro histórico é possível visitar a Fundação Eugênio Almeida e a Adega Cartuxa. Essa é uma das maiores referências em produção de vinho no Alentejo.

Há vários anos o enoturismo também se destaca como um dos pontos fortes da Cartuxa. Uma visita à adega Cartuxa é uma aula de história, viticultura e uma experiência que impressiona até a quem é iniciante no mundo dos vinhos.

A Adega Cartuxa, na Quinta de Valbom, tem sua história ligada à Companhia de Jesus. No ano de 1580 o padre jesuíta Pedro Silva, reitor da Universidade de Évora, adquiriu a Quinta de Valbom para aí alojar o corpo docente da Universidade. A construção da Casa de Repouso dos Jesuítas demorou cerca de 10 anos e resultou num edifício com múltiplos alojamentos, refeitório e capela.

Em 1759, com a expulsão da Companhia de Jesus do país por Marquês de Pombal, a Quinta passou a integrar os bens do Estado e foi em 1776 equipada com um lagar de vinho que rapidamente ganhou importância na região. A proximidade do Mosteiro da Cartuxa determinou que ficasse conhecida, até aos dias de hoje, como Adega Cartuxa.

Em 1869, o bisavô do instituidor da Fundação, José Maria Eugénio de Almeida, adquiriu esta Quinta. Após a sua morte viria a ser o seu filho, Carlos Maria Eugénio de Almeida, para dar continuidade e expansão da produção da Casa Agrícola Eugénio de Almeida. Foi da sua iniciativa a plantação das vinhas que constituíram a origem mais remota dos vinhos da Fundação.

Com o tempo veio o sucesso da produção vitivinícola da Instituição, a Adega da Cartuxa, instalada no antigo refeitório da Casa de Repouso dos jesuítas. Na década de 90 foram feitos vários investimentos em todos os setores da adega, e foi possível aumentar o seu potencial de vinificação e capacidade de armazenagem.

Da linha de engarrafamento totalmente automatizada instalada na Adega Cartuxa saem anualmente cerca de seis milhões de garrafas, distribuídas por vinho branco, rosé e tinto das marcas Vinea Cartuxa, EA, Foral de Évora, Cartuxa, Scala Coeli e Pêra-Manca.

É possível agendar uma visita pelo site para fazer um tour guiado pelas instalações que têm muita história da marca e do cultivo na região. Participamos de um tour premium que incluiu degustação de azeites e vinhos Cartuxa, inclusive do icônico Pêra Manca.

Durante a visita à adega Cartuxa é possível conhecer e aprender sobre seus espumantes branco, branco reserva e rosé ( produção que teve início em 2007); sobre seus azeites premium ( produção iniciada em 2004); e os diversos rótulos da marca, incluindo o vinho Pêra Manca, o mais emblemático da adega ( dependendo do tour escolhido). O vinho Pêra Manca branco é considerado um vinho gastronômico e que vai muito bem com bacalhau, moqueca, marisco e algumas carnes. Já o tinto é vendido apenas um para cada visitante e não é feita a sua degustação.

Adega Cartuxa – Quinta de Valbom, Estrada da Soeira 7005-003. Évora. Portugal. enoturismo.cartuxa@fea.pt
Tel: (+351) 266 748 383

Cristofoli engarrafa uma ‘Coleção’ de rótulos raros

Foto divulgação ( agência Conceito) e edição @Ilovevinhos

A vinícola Cristofoli tem muita história e tradição no Rio Grande do Sul onde tudo começou com uma família de viticultores na região de Faria Lemos há mais de 130 anos. A marca lança os três primeiros rótulos que dão vida a Linha Coleção, que tem apenas vinhos safrados – todos de 2022. A novidade inaugura uma nova fase na Cristofoli, que busca oferecer aos consumidores novas experiências.

Um riesling macerado com uvas desengaçadas manualmente, um espumante sur lie elaborado pelo método ancestral e um tannat resultado de maceração carbônica. Estes são os vinhos da Coleção e a ideia dessa seleção especial nasceu da mente dos jovens enólogos Bruna (35), Letícia (24) e Lorenzo (26), que conduzem a vinícola na Rota Cantinas Históricas, em Bento Gonçalves. Eles desejam trazer a cada safra novos lançamentos alimentados pela criatividade e um trabalho minucioso para extrair o que há de melhor da natureza.

O Cristofoli Coleção Riesling surgiu de uma maneira totalmente diferente. As uvas, colhidas no dia 2 de fevereiro, chegaram muito maduras e foram desengaçadas manualmente, não passando por máquina. Lorenzo, o comandante da operação, explica que junto com ele, a mãe Maria de Lourdes, o tio Mário e mais três colaboradores da vinícola participaram do processo. “Passamos um dia inteiro numa força tarefa, da manhã à noite, desengaçando cacho por cacho. Conforme íamos tirando as baguinhas, automaticamente já colocávamos dentro do tanque, numa afinada sincronia”, explica. A partir daí, o enólogo inseriu as leveduras, iniciando a fermentação sempre com temperatura controlada entre 12 e 14 graus. Depois de quatro dias macerando, o vinho foi descubado sem prensagem e o mosto continuou a fermentação sem as cascas por 15 dias. Depois da fermentação malolática o vinho repousou em tanques, sendo engarrafado no final de junho. O resultado é um vinho com estrutura, volume de boca muito maior, cremosidade, com características minerais e toque químico, inerente a variedade da uva. São apenas 900 garrafas. “O grande diferencial é que este é um vinho branco macerado, o que não é comum no mercado. Ele tem perfil de ter passado por madeira sem passar por barrica”, completa Lorenzo.

Outra raridade da linha com apenas 1.000 garrafas é o Cristofoli Coleção Sur Lie Ancestral Safra 2022, espumante com uvas Pinot Noir e Sangiovese, estas colhidas no vinhedo da família de onde também nascem os emblemáticos Cristofoli Sangiovese Tinto e o Cristofoli Rosé de Sangiovese. O espumante começou a ser elaborado com a prensagem das uvas, que seguiram para fermentação no tanque com controle de temperatura, como de costume no processo de elaboração pelo método tradicional. Ocorreu a deburgagem, primeira clarificação do mosto (decantado para separação das partículas sólidas naturais) e o vinho iniciou a fermentação alcoólica no tanque. Quando estava com aproximadamente 24g/L de açúcar o mosto foi engarrafado, ainda em fermentação. Lorenzo esclarece que este momento é crucial pois se passar demais o espumante fica com pouco gás carbônico, mas se for muito cedo a pressão é tanta que muitas garrafas podem estourar. Assim, o mosto terminou de fermentar dentro da garrafa, incorporando o gás do final da fermentação ao espumante. “Com isso, temos um espumante com uma população muito maior de leveduras, uma autólise mais intensa, que resulta num espumante muito mais fresco e aromas primários”.

Também estreia na linha o Cristofoli Coleção Tannat Safra 2022, elaborado por maceração carbônica, técnica pouco usada para um tinto. O lote tem 2.600 garrafas. As uvas foram colocadas inteiras no tanque, sem o desengace, ou seja, com o cacho intacto. Após, foi feita a saturação com gás carbônico e o tanque permaneceu fechado por uma semana, promovendo reações enzimáticas das uvas, que diminuem a acidez total e formam precursores aromáticos que geram notas, principalmente, lácteas. Após este período de tempo, as uvas foram prensadas e somente o mosto retornou ao tanque. A partir daí ocorreu a fermentação alcoólica, transformando o açúcar em álcool. Como consequência, um vinho com menor intensidade de cor e de taninos, porém muito mais aromático, ganhando complexidade em frutas, o que deixa o vinho muito mais macio, agradável, sem aquela agressividade natural do tannat, por ser um vinho potente. “Buscamos domar este tannat e oferecer um vinho mais fácil de beber”, esclarece Lorenzo.

Vinícola Cristofoli – ERS 431 km 06 – Rota Cantinas Históricas – Faria Lemos – Bento Gonçalves (RS). Horário de atendimento: De segunda a sexta: das 8h às 11h30min e das 13h30min às 18h. Sábados e feriados: das 9h30min às 18h. Domingos: das 12h às 17h.